O que fazer quando seu chefe é ruim?

Imagine que sua equipe está performando mal, um culpa ao outro o tempo todo, o chefe culpa a equipe e vice-versa, ninguém está feliz de trabalhar ali, ninguém está entrosado. O que acontece se trocar o líder e colocar alguém melhor no lugar?

Tem uma história sobre duas equipes no treinamento dos Navy Seals. Uma delas estava em primeiro lugar e a outra equipe estava em último, 13 posições depois.

A primeira equipe trabalhava muito bem junta, estava animada e tinha muito entrosamento.

Porém, a última estava como a equipe que eu descrevi no primeiro parágrafo. Estava péssima, performando mal, sem confiança, brigando um com o outro.

Então o comandante, responsável pelo treinamento, resolveu trocar os líderes das equipes que estavam em primeiro e em último lugar.

Já ouviu aquela frase de que não existe equipe ruim, só líder ruim? Por quê se o líder for bom ele dá um jeito da equipe ser boa também? Pois bem, a equipe que estava em último lugar quando trocou o líder pelo melhor líder saiu da última posição para ir brigar pela primeira. Mas não quero focar no líder que era bom, quero saber o que aconteceu com o líder que era ruim.

Quando o líder ruim entrou na equipe boa, ela continuou indo bem, porque ele era ruim, mas a equipe não e uma equipe boa pode influenciar um líder ruim.

Não importa se você está em uma posição de liderança ou não, o fato é que pessoas boas transformam pessoas ruins em boas também.

É difícil? Claro que é, como tudo aquilo que vale a pena. Mas tenho certeza que você pode influenciar mudanças positivas por onde quer que você passe.

Post original no instagram, me segue lá:

A única reunião que você precisa ter

Se fosse pra você escolher uma reunião, qual seria e por quê? Todos estamos soterrados por reuniões, e se você estiver em uma empresa ruim, suas reuniões serão um porre e você sempre terá a impressão de que não deveria ter tantas mesmo que sempre anseie por mais uma para resolver o “alinhamento”.

A única reunião que precisa ser feita é a reunião de retrospectiva. Isso não tem a ver com ágil, tem a ver com olhar para o que foi feito e analisar criticamente o que deu certo e o que deu errado junto ao time para repetir os acertos e evitar os erros.

Se outras reuniões, ritos, cerimônias ou “alinhamentos” forem realmente importantes para a sua realidade, elas aparecerão nessa retrospectiva.

Sendo agnóstico de qualquer metodologia de trabalho, de área de atuação, setor, não importa. Tenho certeza que uma retrospectiva bem feita é capaz de identificar tudo aquilo que precisa existir para o time evoluir continuamente.

Originalmente, publicado no instagram. Me segue lá:

Expectativa irreal dos Tech Leads

Tech leads de primeira viagem costumam ter um pensamento que é paralisante. Líderes iniciando, no geral acabam enfrentando isso.

Imagine a seguinte situação: É seu primeiro dia como tech lead de um time e um dev jr empolgado diz que está muito feliz com a sua chegada pois estão com dificuldade no app que estão desenvolvendo. Imagine agora, que o app é em Android, mas você nunca sequer programou uma linha de código que tivesse a ver com um aplicativo porque foi desenvolvedor backend a vida toda. O dev veio cheio de expectativas e você não faz ideia de como ajudar, sem ser se debruçado sobre o problema e aprendendo para poder ensinar.

Lembro da primeira vez que precisei liderar um time de desenvolvimento mobile. Dois dias antes do início do novo dev Android, comecei a ler sobre o assunto e instalei o Android Studio pois não estava me sentindo confortável para estar a frente de um projeto que eu não sabia como programar. Obviamente eu jamais teria tempo de ter estudado tudo o que ele sabia e mais um pouco para servir como a “referência técnica” que eu achava que deveria ser.

Essa expectativa irreal de ter que saber tudo sobre toda a stack ou ser quem mais sabe de tecnologia no time é paralisante.

Nesta situação lembro de conversar com o CEO da empresa que me explicou o porquê não fazia o sentido que um líder tivesse que saber tudo para garantir que as outras pessoas estivessem fazendo um bom trabalho. O importante é transportar seu conhecimento de uma área para outra perguntando para entender como a outra pessoa está pensando nos casos que você pensaria.

Na situação tanto o TL como o Jr tem expectativas irreais. Para o jr em início de carreira é normal não saber o que esperar dos líderes próximos.

Já o TL precisa fazer as perguntas certas, ler código e ser curioso quanto a um know-how que ainda não tem para poder aprender mais e deve contar com aquela pessoa para tomar as melhores decisões possíveis, dentro das possibilidades discutidas. Tentar entender mais sobre o escopo, padrões utilizados e o que está sendo feito, ajuda a garantir boas decisões.

Publicado originalmente no Instagram, me segue lá: