em Django, Português, programação, Python, virtualenv

Tutorial de Deploy por aí é o que não falta, a maioria em inglês. Esse que estou criando é pra engrossar o caldo de deploys em português. Esse é um Guia Definitivo Rápido, ou não tão rápido, para fazer Deploy Django com Python 3. É um deploy para Kids.

A dificuldade de fazer um deploy reside nos detalhes. No fundo é fácil se você está familiarizado com as partes envolvidas. Você precisa saber fazer uma autenticação ssh, estar acostumado com a linha de comando, conhecer linux, saber configurar o projeto, entender o que é servir arquivos estáticos, gunicorn…. tá, tá… nunca é fácil e muito menos rápido, justamente por isso criaram um monte de ferramentas pra deploy. E hoje com Ansible, Docker e whatever kids are using these days fica fácil fazer o deploy mas muito abstrato entender o funcionamento.

Em alguns anos esse post será obsoleto pra sempre, com serverless e tudo mais acho que pouca gente vai querer saber como fazer um deploy django dessa forma. Mas, mesmo assim, se ajudar uma pessoa já está bom. Será um tutorial Old-Style.

O Servidor

Vou imaginar que você não tem um servidor, não tem uma conta na AWS, nem DigitalOcean, nem Linode, nada… Você pode criar uma conta em um deles, lançar uma máquina com as configurações que quiser (Na AWS é tudo mais complicado pra quem não está acostumado, se for sua primeira vez, prefira outro).

Pra esse tutorial estou falando de Ubuntu 16.04, que é o servidor que você mais vai ver por aí nesse momento nesses serviços. Você pode escolher um Debian qualquer também.

Configuração inicial

Configure o timezone do servidor

sudo locale-gen --no-purge --lang pt_BR
sudo dpkg-reconfigure tzdata

Atualize os pacotes:

sudo apt-get update 
sudo apt-get -y upgrade

Instalando Python 3.6 no lugar do Python 3.5

Agora substitua o Python 3.5 instalado, pelo Python3.6 (O Ubuntu que indiquei, ele vem com Python 3.5.1)

sudo apt-get update
sudo add-apt-repository ppa:jonathonf/python-3.6
sudo apt-get install python3.6
sudo update-alternatives --install /usr/bin/python3 python3 /usr/bin/python3.5 1
sudo update-alternatives --install /usr/bin/python3 python3 /usr/bin/python3.6 2

Você pode escolher qual versão do Python o SO vai usar ao chamar python3 com:

sudo update-alternatives --config python3

Se você se enrolar, dê uma olhada aqui.

Instale os requisistos do Sistema Operacional

Aqui tem alguns pacotes que eu sempre uso em um deploy.

sudo apt-get install python3-pip nginx supervisor git git-core libpq-dev python-dev 
python-virtualenv

Seu projeto pode ter outros requirements do SO pra instalar.

VirtualEnvWrapper para o Python3

Eu gosto muito do VirtualEnvWrapper, acho simples de começar um virtualenv, e deixa todos os meus virtualenvs no mesmo lugar, mas isso é escolha pessoal, se você não gosta, faça como está acostumado

Você instala o virtualenvwrapper, depois define a pasta dos seus virtualenvs (WORKON_HOME).

Para usar com múltiplos Pythons você vai precisar definir VIRTUALENVWRAPPER_PYTHON. No caso estou usando sempre o padrão que defini para o comando python3. Isso não é um problema porque você pode criar um virtualenv depois apontando qual python aquele virtualenv vai usar.

sudo pip3 install virtualenvwrapper
echo 'export WORKON_HOME=~/Envs' >> ~/.bashrc
echo ‘export VIRTUALENVWRAPPER_PYTHON=`which python3`’ >> ~/.bashrc
echo 'source /usr/local/bin/virtualenvwrapper.sh' >> ~/.bashrc
source ~/.bashrc

Crie seu VirtualEnv apontando qual python aquele virtualenv irá usar

mkvirtualenv nome_venv --python=python3

O VirtualEnvWrapper é muito fácil, para entrar em um Virtualenv que você criou, você pode usar:

workon nome_venv

Para sair do virtualenv:

deactivate

Para excluir um virtualenv:

rmvirtualenv nome_venv

Gere as Chaves SSH para autenticar no GitHub

Você não quer (e nem deveria) escrever a senha pra fazer o git pull do seu projeto no servidor.

Gere as chaves SSH

cd ~/.ssh
ssh-keygen -t rsa -b 4096 -C "dev@email.com"
eval "$(ssh-agent -s)"
ssh-add ~/.ssh/id_rsa

Veja e copie o conteúdo da sua chave pública (id_rsa.pub)

cat ~/.ssh/id_rsa.pub

Depois entre no seu github, em Settings > SSH and GPG Keys. Clique em New SSH Key, dê um nome pra essa chave, como (“chaves do servidor teste”) e em Key cole o conteúdo da chave pública id_rsa.pub

Faça o clone do seu projeto Django

Copie o link SSH do Github para fazer o clone, no caso estou usando um projeto que encontrei agora pra exemplo

git clone git@github.com:kirpit/django-sample-app.git

Entre na pasta do projeto e instale os requirements do projeto.

Lembre-se de estar no virtual env correto.

cd django-sample-app/
pip install -r requirements.txt

Agora faça as alterações que forem necessárias para o deploy django, como criar um arquivo de settings_local, banco de dados, ou qualquer outra coisa específica do seu projeto.

Depois de tudo certo, você ainda precisa rodar as migrações e gerar os arquivos estáticos (se estiver usando)

python manage.py migrate
python manage.py collectstatic

Configurando o NGINX

Nginx, assim como o Apache, tem um mundo inteiro só deles, nesse momento você precisa conhecer o básico.

Existe um diretório /etc/nginx/sites-available/ onde ficão os arquivos de configuração de sites disponíveis para o nginx servir e existe o diretório /etc/nginx/sites-enabled/ que é a mesmíssima coisa, mas o que estiver aqui o apache estará servindo mesmo.

Normalmente você cria o arquivo de configuração no sites-available/ e cria um link simbólico para o sites-enabled/

Nós vamos fazer isso. Primeiramente, vou excluir o site default do nginx

sudo rm /etc/nginx/sites-enabled/default

Agora crie o arquivo de configuração para o seu site. (Se você não está acostumado com o VIM, use troque vi por nano)

sudo vi /etc/nginx/sites-available/meusite

No conteúdo do arquivo, coloque isto, mudando os caminhos necessários:

server {
 listen 80;
 access_log /home/usuario/logs/access.log;
 error_log /home/usuario/logs/error.log;

 server_name nome-site.com.br;

 location / {
 proxy_pass http://127.0.0.1:8000; 

 #As proximas linhas passam o IP real para o gunicorn nao achar que sao acessos locais
 proxy_pass_header Server;
 proxy_set_header X-Forwarded-Host $server_name;
 proxy_set_header X-Real-IP $remote_addr;
 proxy_set_header X-Forwarded-For $proxy_add_x_forwarded_for;
 proxy_set_header Host $http_host;


 }

 location /static {

   alias /home/usuario/caminho_projeto/static/;

 }

Agora crie o link simbólico para o sites-enabled:

sudo ln -s /etc/nginx/sites-available/meusite /etc/nginx/sites-enabled/meusite

Reinicie o Nginx:

sudo service nginx restart


(Se você configurou tudo direitinho até aqui, ao acessar o site você verá uma página com um erro 502 Bad Gateway do próprio nginx)

Isso acontece porque ainda não tem nada aqui http://127.0.0.1:8000

Vamos colocar o site pra rodar nessa porta pelo gunicorn

Configurando o Gunicorn

Alguém vivo até essa parte? Cansa não, falta pouco.

No seu virtualenv (lembra workon nome_env?) instale o gunicorn

pip install gunicorn

Na pasta do seu projeto crie um arquivo chamado gunicorn_conf com:

bind = "127.0.0.1:8000"
logfile = "/home/usuario/logs/gunicorn.log"
workers = 3

Agora se você rodar o gunicorn, você vai ver seu site rodando:

/home/usuario/Envs/nome_venv/bin/gunicorn projeto.wsgi:application -c gunicorn_conf

Mas o que você pretende fazer? Rodar esse comando dentro de um screen e ir embora? Não dá né! Então, você vai usar o Supervisor pra controlar o funcionamento do gunicorn.

Configurando o Supervisor

Crie o seguinte arquivo de configuração

sudo vi /etc/supervisor/conf.d/gunicorn.conf

Com o seguinte conteúdo:

[program:gunicorn]
command=/home/usuario/Envs/nome_venv/bin/gunicorn projeto.wsgi:application -c /home/usuario/projeto/projeto_django/gunicorn_conf
directory=/home/usuario/projeto/projeto-django
user=usuario
autostart=true
autorestart=true
redirect_stderr=true

Depois é só avisar o supervisor que existe um novo processo que ele precisa controlar da seguinte forma:

sudo supervisorctl reread
sudo supervisorctl update
sudo supervisorctl restart gunicorn

E voilá! Um site rodando você terá!

Conclusão

Existem muito mais coisas envolvidas no processo de um deploy. Você precisa configurar um firewall, provavelmente precisará servir mais pastas estáticas, etc, etc, etc… Mas precisa começar por algum lugar.

Não acredito que fiz um post inteiro sem colocar nenhum gif no meio, então só pra terminar, PRESTE ATENÇÃO em TODOS os caminhos que eu coloquei acima, você vai ter que usar os seus próprios paths corretamente

Oops..


Also published on Medium.

Escreva um comentário

Comentário