Corona vírus acelera transformação digital (Não é meme)

O meme é real. O corona vírus (Covid-19) é o responsável por acelerar a transformação digital nas empresas. Temos aqui uma pesquisa com CEOs realizada pela Fortune 500 que prova isso.

Dessa pesquisa com CEOs da lista da Fortune 500 dá pra tirar alguns tópicos bem interessantes

– O meme é real! 75% admite que a transformação digital acelerou nessa crise.
– Viagens de negócios nunca mais serão como antes.
– 50% dos líderes cortaram na própria carne.
– A maioria acredita que nunca mais vamos voltar a ter a força de trabalho no mesmo local como antes.
– Manter os funcionários seguros e produtivos tem sido a preocupação mais importante nesse período.

E a transformação digital também aconteceu no lado do consumidor com a penetração do e-commerce. Em 8 semanas o crescimento da penetração do e-commerce foi maior do que tinha sido nos últimos 10 anos.

No alternative text description for this image

Também podemos ver a taxa total de crescimento do e-commerce e de vendas em e-commerce em 2020:

US Ecommerce Growth Rate
US Ecommerce Sales

Tentei achar mais dados sobre o Brasil, não encontrei, mas ainda achei mais algumas informações interessantes, como por exemplo o raking desses e-commerces nos Estados Unidos. Amazon está disparadamente na frente:

Culpa por estar descansando

Você passa o final de semana se culpando por estar descansando? 

Esse é um assunto que surgiu algumas vezes conversando com desenvolvedores na minha mentoria. A história é sempre parecida: Você tem pouco tempo durante a semana e no final de semana quando vai descansar ou se divertir, você pensa que deveria estar trabalhando ou estudando e se sente culpado.

Bart Bored | Capa twitter

Citando Yuval Harari no livro Homo Deus: “No mundo moderno, nós humanos tocamos o negócio. Por isso estamos sob constante pressão dia e noite”.  Essa pressão é normal, pois você sabe que é o grande responsável pelo seu sucesso e seu futuro, seja na carreira, na vida familiar, financeira, etc. Não dá pra terceirizar, é melhor aceitar que é difícil e fazer alguma coisa quanto a isso.


O que fazer? Planeje-se. E antes de inventar a desculpa de que “não adianta planejar minuto a minuto”, dê uma chance para o planejamento. Esse simples ato vai te dar muitos insights sobre o que você deveria ou não estar fazendo.

Pegue papel e caneta e escreva tudo que você gostaria de fazer, quais áreas da sua vida você precisa balancear, quanto tempo você gostaria de se dedicar para cada coisa e se planeje. Se você decidir que não vai usar o final de semana para esses objetivos então simplesmente fique em paz. Você vai ver que o problema não é estar se divertindo, é simplesmente estar com um monte de abas do Chrome em aberto na sua cabeça.

Descanso planejado não tem sentimento de culpa! Você só precisa estar OK com as escolhas que você fez para você. Se você não estiver confortável porque gostaria de estar investindo seu tempo em um negócio próprio, em um curso ou em uma atividade física, se planeje e execute.


Síndrome do impostor é coisa de novatos?

mascara

Recentemente, muitas pessoas estão sendo demitidas. Crescentes demissões em massa causadas pela crise do COVID-19, e ser demitido, pode afetar tanto quem fica como quem sai de uma empresa. Quem sai pode entrar em uma nova empresa sofrendo com a síndrome de impostor. Será que isso acontece só com os novatos de uma área?

Ser cortado em uma demissão em massa

A cada dia vejo mais posts no Linkedin sobre pessoas que foram demitidas nessa crise que se inicia. Nestes posts, colegas de trabalho tentam animar quem foi demitido e promovê-los postando links de seus perfis, atestando-os como excelentes profissionais. Fazem isso como uma forma para ajudar os colegas e muitas vezes até compartilham planilhas com Nome, Cargo e Contato de todas as pessoas que foram demitidas.

Apesar de sair sendo endossadas por colegas, essa é uma fase na qual muitas dessas pessoas perdem a confiança em nelas mesmas. Ser demitido nunca é uma situação agradável e dependendo de como é feito pode ser até traumático.

homem sendo demitido

Quem foi cortado pensa no que poderia ter feito diferente ou se compara com quem ficou. E quem sobreviveu ao corte pensa que será o próximo e que não é em nada diferente daqueles que saíram. É ruim para todo mundo.

Sempre acredito que analisar criticamente o porquê de ter sido demitido é uma maneira de melhorar como profissional em épocas normais, todavia vivemos em tempos sombrios e nele o imponderável exerce o papel principal, por isso, se você sofreu em uma demissão em massa, não seja tão crítico com você mesmo. Quando estiver recuperado do baque e pronto para outro emprego, saiba que existem muitas empresas que ainda estão contratando. Será a hora de levantar a cabeça, lembrar-se das suas conquistas e seguir em frente.

A Síndrome do Impostor

Só que mesmo nos casos de profissionais excelentes que foram cortados, existe um grande risco de sofrer da síndrome do impostor quando pisarem em uma empresa nova. Quero ligar isso a uma história que aconteceu há algumas semanas nos EUA. O governador do Colorado resolveu criar um comitê junto à iniciativa privada para combater o COVID-19 e o investidor Brad Feld indicou Matt Blumberg para dar partida no projeto montando o time.

Matt é um ex-CEO que liderou sua empresa Return Path por 20 anos e a vendeu no ano passado por centenas de milhões de dólares. Uma pessoa super gabaritada e endossada por outras pessoas excelentes. Mesmo assim, Matt sofreu da síndrome do impostor.

Matt Blumberg

Durante os 12 dias nos quais ele trabalhou arduamente para montar esse time, Matt manteve um diário e postou como se sentia em seu blog. Logo no primeiro dia, ele relata ter se sentido com uma “mega síndrome do impostor”. Matt é gente como a gente.

Portanto, não importa se você está começando agora ou tem +20 anos de experiência. Essa sensação é normal e para quem está buscando novos desafios depois de ter sido demitido durante a crise, deve ser mais comum ainda.

O que buscamos na crise?

pães

Li uma matéria no G1 comentando sobre o crescimento das buscas online para alguns produtos no período da quarentena.

Buscas de supermercado pela internet, equipamentos de ginástica e periféricos de computador subiram vertiginosamente. Só como exemplo, álcool em gel cresceu 983%. Anilhas de academia, 937%.

Claro que existem um monte de outros produtos ali que em um exercício mental você conseguiria adivinhar que cresceriam também como televisões, webcams, headsets e até computadores (já que o Home Office virou realidade para 23% das pessoas, contra 0,2% poucos tempo atrás).

Fiquei curioso e quis fazer minha própria pesquisa, imaginando o que poderia gerar maior interesse nesse momento de crise. Estou colocando os resultados abaixo:

Resolvi utilizar o Google Trends para ter uma ideia de como estamos buscando alguns termos no Brasil. A primeira curiosidade que tive foi de saber se estamos buscando mais por “comparadores de preço”. Imaginei que já que a busca é online, comparar preços seria mais fácil através de uma ferramenta. Além disso, a matéria do G1 aponta o Buscapé como fornecedor dos dados.

No alt text provided for this image
Google trends comparando resultados para buscapé, zoom e bondfaro

Inicialmente, tomei um susto! O único buscador que eu uso é o Buscapé, porém lembrei que existiam outros dois: o Zoom e o BondFaro. Acontece que eles nem existem mais (pelo menos ambos os sites estavam com erro 504 no momento em que escrevo este artigo) e Zoom é o mesmo nome de uma ferramenta de videoconferência e por isso temos esse boom de interesse bem no período da quarentena.

Deixando só o Buscapé, aparentemente nada mudou na quarentena e o pico foi na Black Friday:

No alt text provided for this image
Google Trends com resultados de busca para buscapé

Depois pensei em outras duas hipóteses:

  1. Durante a quarentena as pessoas procuram mais por Cursos Online.
  2. E a busca por Jogos Online também aumenta durante a quarentena.

Curiosamente, o interesse em Cursos Online sempre foi menor do que por Jogos Online, mas desde meados de Março, ambos cresceram muito e o interesse em buscas por Cursos ultrapassou o interesse em Jogos:

No alt text provided for this image
Google Trendfs com resultados de busca para Cursos Online e Jogos Online

Os cursos que tem sido mais buscados são os “gratuitos” e a busca por cursos gratuitos em específico da FGV e os de desenho da Faber Castell estão crescendo.

No alt text provided for this image
Tabela do Google Trends para Queries relacionadas a Cursos

E só para ter certeza que as pessoas estão ficando em casa, resolvi comparar com as buscas por bares, cinemas e restaurantes e constatei que houve uma queda bem acentuada em março:

No alt text provided for this image
Google Trends com resultados de busca para Restaurante, Bar e Cinema

Fora isso, o próprio Google Trends deixa vários insights de buscas que vem crescendo. Obviamente, a grande maioria delas é relacionada ao COVID-19, à crise e a informações de como conseguir ganhar o benefício do governo. Contudo, um dos insights me chamou muita atenção:

No alt text provided for this image
Google Trends com resultados de busca para Como Fazer Pão

O interesse em “Como Fazer Pão” dobrou.

E disso tirei um monte de outras dúvidas que gostaria do seu input:

  • Será que o interesse por cursos online se mantém depois da crise?
  • Que tipo de negócios poderiam nascer de novos interesses das pessoas?
  • Assinatura de entrega de pães?
  • Assinatura de ingredientes para fazer pão em casa?
  • Será que depois da crise as pessoas continuam a fazer seus pães ou voltam para as padarias?

Enfim, para cada pergunta vai surgir uma outra pergunta, mas a reflexão que eu quero deixar é exatamente como descobrir o que tem potencial para crescer durante a crise?

Paralisia por Análise – Por quê é tão difícil escolher um filme na Netflix?

Netflix

Já percebeu como é difícil pra escolher um filme na Netflix? Você praticamente sofre uma paralisia por análise.

Com tantas opções fica difícil tomar uma decisão. E isso não acontece só com filmes. Vários amigos tem dúvidas sobre qual curso fazer no período de quarentena ou o que estudar já que chovem opções gratuitas neste momento.

O fato é que temos apenas uma quantidade de decisões que conseguimos tomar sem esgotar nosso cérebro. Isso é assustador se imaginar como deve ser sido isso para Steve Jobs, ou hoje em dia para Mark Zuckerberg que precisam tomar centenas de decisões por dia.

Quando estamos expostos a muitas opções podemos sofrer de ‘Paralisia por Análise’, ou como diz o termo em inglês “Analysis Paralysis“. Isso acontece porque ficamos tentando otimizar nossas escolhas e temos medo de tomar uma decisão errada sendo que pode ter outra melhor na mesa.

Isso acontece também no Desenvolvimento de Software e é um anti-pattern conhecido, no caso, quando você dedica muito mais tempo e esforço à análise do projeto do que deveria.

Conheço pelo menos 3 métodos que você pode utilizar para lidar com isso:

  1. Entender bem o que você vai decidir e quais os impactos da escolha que você vai fazer. 
  2. Estipular um prazo para a tomada de decisão
  3. Ter uma rotina.

Como você lida com isso no seu dia a dia?


Meetup Virtual de Flutter para Pessoas em Quarentena

Meetup virtual de Flutter para pessoas em quarentena

Eu estava querendo organizar um Meetup de Flutter mas com a quarentena até dei uma desanimada… Até descobrir a história de como o Meetup foi criado.

Depois do ataque ao World Trade Center em 2001, Scott Heiferman se reuniu com seus vizinho. Apesar de morar no mesmo prédio há anos, nunca havia falado com eles.

A situação em Nova York era tão delicada que acabou por aproximar as pessoas em suas comunidades locais. O espírito era de cooperação.

Depois desse encontro e de uma vigília na cidade, Scott se viu com questões como:

  • O que une as pessoas?
  • O que leva as pessoas a falarem umas com as outras?
  • O que leva as pessoas a se organizarem em grupos para fazerem coisas boas?

Scott diz que antes não era muito ligado a comunidades, porém estava intrigado e no ano seguinte resolveu criar o Meetup junto a mais cinco pessoas.

O Meetup é uma plataforma online que busca unir pessoas presencialmente. Contudo, desde a quarentena que nos foi imposta pelo COVID-19 eles mudaram o “in-person event policy” e estão incentivando os organizadores a criarem eventos online.

Aproveitei a oportunidade e criei o Meetup Virtual de Flutter para Pessoas em Quarentena

O ser humano é um animal social e espero que estejamos ainda mais unidos depois de passarmos por esta crise.

A Quarentena de Isaac Newton

Isaac Newton

Sabia que Sir Isaac Newton também passou por um momento de quarentena? 

Ele ainda era um aluno e aproveitou tão bem seu período em casa que, 2 anos depois já era professor em Cambridge

No período de quarentena, que ocorreu durante a Grande Praga de Londres, foi quando ele desenvolveu vários de seus trabalhos mais importantes como o Cálculo, a Ótica e a Teoria da Gravitação Universal.

Vejam que, o “distanciamento social”, hoje em dia mais físico que social, não é uma ferramenta nova. 

Hoje, estamos presos em casa, mas contamos com deliveries, cartões de crédito, formas de comunicação e praticamente todo o conteúdo do mundo disposto na internet para aproveitarmos nosso tempo criando coisas incríveis. Se bem aproveitado, esse tempo ‘isolados’ pode ser muito produtivo.

Nada parou o barco na quarentena de Isaac Newton!

O vamos colher de bom depois da crise?

Essa matéria do Washington Post sobre o caso é bem interessante: https://www.washingtonpost.com/history/2020/03/12/during-pandemic-isaac-newton-had-work-home-too-he-used-time-wisely/

Hackeando o Organograma. Influenciando ativamente quem está acima de você

Essa semana li um texto interessantíssimo do meu amigo Muller Nascimento: Às vezes é a maçã e às vezes é o barril. O texto discute o que fazer quando o problema é quem toma as decisões. Isso não é simples e entendo que para a maioria das pessoas essa situação pareça insolúvel, mas não é. Hackeando o organograma, você pode liderar sua empresa, independentemente da posição que ocupa.

Minha sugestão aqui é que você assuma uma postura de liderança, sem se prender ao seu papel na empresa. Para isso, você vai precisar trabalhar em vários pontos ativamente. A maioria das pessoas vai fugir, ou achar que não vale o esforço, mas se você for uma das poucas pessoas a lutar terá aprendido muito no processo e poderá ser responsável por melhorar não só seu ambiente de trabalho, como a si mesmo e sairá dessa batalha um profissional muito mais capacitado e pronto para assumir posições mais difíceis.

Comunicação

Jeff Sutherland no seu livro Scrum, fala sobre a importância da saturação da comunicação para o funcionamento efetivo do time. É uma verdade dentro de um time de 5 ou 6 pessoas e continua sendo verdade para organizações inteiras, com centenas de colaboradores (ou maçãs 🍎 🍏, como chamou o Muller). Mas por quê ainda se fala tanto sobre a importância da comunicação ? Porque é sempre o primeiro problema pra resolver.

Para manter todo mundo na mesma página é que surgem as reuniões de alinhamento, planejamento, reuniões diárias (daily meetings), retrospectivas, etc. O único objetivo é compartilhar o máximo para que todos tenham contexto suficiente para tomar as melhores decisões. A boa comunicação e a saturação dela entre “líderes” e “liderados” é o caminho para uma relação mais harmoniosa e um trabalho mais efetivo.

Na prática: O que fazer quando seu líder não se comunica de maneira eficiente? Perguntas! Sempre que alguma coisa não estiver clara para você, você vai perguntar. Seu objetivo não é entender “Como fazer alguma coisa” ou “O que deve ser feito”. Seu objetivo primeiramente é entender o Objetivo por trás de qualquer tarefa. Entender o “Por quê” algo precisa ser feito vai te trazer a visão global de algo. Toda vez que não estiver claro, pergunte ativamente. Discuta os pontos que devem ser feitos, qual a melhor forma de fazê-los e quando algo não estiver claro para você como “por quê estamos usando a metodologia x ao invés de y?” ou “por que não tentamos fazer tal coisa”.

Fale com quem resolve

Falar com quem resolve é outro ponto que deve ser trabalhado se você quiser liderar de baixo para cima. Discuta abertamente os problemas da empresa com o seu chefe e não pelas costas para os seus pares. Falar com alguém que não tem o poder de mudar nada só vai soar como reclamação e vai contaminar o barril inteiro e ainda pode ter um efeito negativo sobre como os outros funcionários enxergam você. Se você levar isso para quem tem o poder de resolver, você estará ativamente buscando soluções.

Seja Humilde

Contudo, considere se você está sendo humilde. Eu sei o quão irritante pode ser ouvir isso, principalmente se você estiver de saco cheio com a sua empresa, porém ser humilde para considerar se o que está sendo feito tem sentido, ou se você tem o contexto completo para avaliar uma decisão é crucial para ser ouvido também. No livro, Extreme Ownership, Jocko Willink e Leif Babin explicam como o ego pode atrapalhar seu julgamento e sua tomada de decisões. Se você ouvir atenciosamente, maior será sua chance de entender melhor o cenário e com isso ter uma melhor base de argumentação, se necessário. No final de uma boa discussão os envolvidos vão sair melhores, entendendo mais os pontos um do outro. Mesmo que haja discordância, é mais fácil seguir por um caminho depois de entender quais são os trade-offs de cada alternativa.

Compartilhe Conhecimento

Uma outra estratégia que pode ser aplicada juntamente a todas as outras é compartilhar conhecimento. As diferentes visões para a tomada de decisão vem de diferentes repertórios. Nutra os demais membros do time com informações que você achou relevante para basear a sua visão. Indique textos, livros, podcasts, vídeos, ted talks, cursos e tudo que puder para seus líderes. As vezes um simples “Fulano, gostaria de discutir um texto com você”, pode ser suficiente para um aprendizado relevante na sua empresa. Ninguém sabe tudo e fomentar essas trocas só enriquece o ambiente e o aprendizado.

Vá embora, você não é uma árvore

Por fim, se a incompatibilidade de gênios é certa, não leve nada para o pessoal. Crie asas e voe para outro lugar. Foque nas coisas boas que você construiu e nos aprendizados que vai levar desta empresa para outra e vá atrás de algo melhor para você. Permanecer em um lugar que não tem nenhum sinal que vai dar certo pode te desmotivar e isso não prejudica só sua empresa, mas também as pessoas próximas (ninguém suporta reclamões) e principalmente sua imagem profissional, pois alguém desmotivado por um longo período pode ser visto como preguiçoso e/ou incapaz pelos colegas e refletir negativamente em futuras indicações.

Resumo

Algorítimo para hacker as organizações:

  1. Comunicação efetiva sempre! Pergunte até esclarecer pontos obscuros. Não assuma nada!
  2. Fale com quem pode resolver. Levar problemas para os seus pares não muda sua vida, só faz de você um bebê chorão ou uma matrona fofoqueira.
  3. Seja Humilde.
  4. Eduque quem estiver ao seu redor! Considere compartilhar com eles textos e livros sobre temas que acredita que eles não estão bem treinados. Essa é uma forma efetiva de feedback para liderar.
  5. Não leve nada para o lado pessoal. Muitas vezes temos que lidar com pessoas que não tem a mesma maturidade que temos. Se for o caso, bola pra frente

Vamos discutir?

Concordando ou não, deixe um comentário, eu realmente quero ouvir outras opiniões sobre esse assunto.

Deploy de aplicações SSR utilizando o Supervisord

Se você está construindo aplicações que renderizam do lado do servidor, o famoso SSR, utiliznado React (com o next.js) ou Vue.js (com o nuxt.js), você vai precisar de alguma ferramenta para controle do processos quando for fazer o deploy. Eu escolhi fazer o deploy de aplicações SSR utilizando o Supervisord, apesar de ter visto em vários sites o pessoal utilizando PM2 para este tipo de aplicação, acredito que o Supervisord é mais conhecido em um contexto geral, não só de quem é do mundo do node.
Se você já viu meu Guia para Deploy Django e Python 3, você já usou o Supervisor.

A razão número 1 para você ter um aplicativo React ou Vue utilizando SSR é por causa do SEO. O Googlebot não trabalha bem com páginas renderizadas do lado do cliente (CSR, o contrário do SSR) e por conta disso pode nem indexar suas páginas. Então, ter uma aplicação SSR dessas rodando no seu servidor, significa que você vai servir a aplicação utilizando o node pra rodar os javascripts que você criou. E para manter o seu comando node rodando, você não pode simplesmente abrir em um screen e torcer para que continue rodando. Você precisa colocar seu app em uma ferramenta de controle de processos como o Supervisord para inicializar sua aplicação caso o servidor reinicie ou sua própria aplicação dê algum pau.

Instalando o Supervisord:

sudo apt-get install supervisor

Agora, vamos criar um arquivo de configuração para a aplicação SSR:

sudo vi /etc/supervisor/conf.d/my-ssr-app.conf

That’s the content:


[program:myappname]
directory=/home/username/yourproject/
command=npm run start
user=username
autostart=true
autorestart=true

Então, precisamos avisar o supervisord que existe um novo processo para ele controlar


sudo supervisorctl reread
sudo supervisorctl update

E futuramente, quando precisar restartar apenas o seu app, use o nome que você colocou no arquivo de configuração.


sudo supervisorctl restart myappname

E é isso aí. Agora você sabe como fazer deploy de aplicações SSR utilizando o Supervisord.

I Know Kung Fu GIF from The Matrix (Now you know how to deploy ssr applications using supervisord)

Alguns links:

Post original em inglês

https://www.reddit.com/r/reactjs/comments/an16mx/how_does_seo_work_with_react/

https://medium.com/walmartlabs/the-benefits-of-server-side-rendering-over-client-side-rendering-5d07ff2cefe8

https://dev.to/stereobooster/server-side-rendering-or-ssr-what-is-it-for-and-when-to-use-it-2cpg

Deploy SSR applications using Supervisord

If you’re building Server-Side Rendering applications with React (next.js) or Vue.js (nuxt.js) you will have to deploy it using some process control tool to keep it running. I have seen that a lot of websites are teaching how to do this with PM2, but I decided to deploy SSR applications using Supervisord. It will work in the same way and it’s a very common tool, so chances are you already have Supervisord in your server. Especially you’ve followed the Deploy for Kids tutorial.

The number one reason to have a React or Vue.js SSR app is SEO. Google Bot doesn’t work well with CSR (Client-Side Rendering) and it can’t index your pages in that way. So, having an SSR app running in your server means you have node.js running some program that you’ve built in Javascript. But you can’t just run node in a screen and get out of it, you must have some process control tool to keep it running if the server restarts or if the application crashes for some reason.

Installing Supervisord:

sudo apt-get install supervisor

Now, create a new configuration file for your SSR application:

sudo vi /etc/supervisor/conf.d/my-ssr-app.conf

That’s the content:


[program:myappname]
directory=/home/username/yourproject/
command=npm run start
user=username
autostart=true
autorestart=true

Now, you have to tell Supervisord about this new process:


sudo supervisorctl reread
sudo supervisorctl update

And if in the future you need to restart just your app, use the name in the conf file:


sudo supervisorctl restart myappname

That’s it. Now you know how to deploy SSR applications using Supervisord.

I Know Kung Fu GIF from The Matrix (Now you know how to deploy ssr applications using supervisord)

Interesting links:

https://www.reddit.com/r/reactjs/comments/an16mx/how_does_seo_work_with_react/

https://medium.com/walmartlabs/the-benefits-of-server-side-rendering-over-client-side-rendering-5d07ff2cefe8

https://dev.to/stereobooster/server-side-rendering-or-ssr-what-is-it-for-and-when-to-use-it-2cpg