Tanto no pessoal quanto no profissional – Boas práticas do seu trabalho na vida cotidiana

Pedido de casamento em paris

Não é incomum ouvirmos histórias de pessoas que são bem sucedidas no trabalho mas sua vida pessoal é uma bagunça. Maus hábitos, sedentarismo, finanças descontroladas, não tem tempo pra nada e a culpa sempre recai sobre o trabalho.

Dependendo de como for sua rotina, pode ser que a culpa seja do trabalho, mas o mais provável é que a culpa seja sua mesmo. Se está cursando uma faculdade e trabalha 12 horas por dia e dorme pouco pode parecer que não cabe mais nada na sua vida, mas mesmo assim é possível melhorar algum aspecto.

Sempre gostei de estudar e usava isso como desculpa para muitas coisas quando era mais novo, inclusive para não estudar. Como fiz ensino médio e técnico ao mesmo tempo (um de manhã e o outro noturno) eu deixava algumas matérias do ensino médio de lado porque gostava mais dos assuntos de computação. Se fui mal em geografia logo me escorava mentalmente em estar indo bem no curso técnico e dizia pra mim mesmo que se estivesse apenas cursando o ensino médio, teria ido bem em geografia. É o velho e batido “quem quer dá um jeito e quem não quer dá uma desculpa”.

Esse mecanismo mental de compensação é natural do ser humano. No livro The Willpower Instinct, a professora de Standford Kelly McGonigal fala sobre como deixamos que um bom comportamento anterior seja uma desculpa para um mau comportamento no presente. Um fenômeno bem conhecido de quem está tentando emagrecer, logo depois de fazer um exercício acaba se dando de presente um rodízio de pizza. Mesmo que já esteja provado que é muuuito mais difícil emagrecer só fazendo exercícios.

Esse comportamento me acompanhou durante muitos anos. Sempre gostei de me ver como alguém que quer alimentar a mente com conteúdo interessante, estudando, tentando coisas novas e isso acabou sendo desculpa para nunca praticar esportes, por exemplo. Felizmente, tive a oportunidade de conhecer pessoas completas (Mente sã, corpo são). Parece que o dia dessas pessoas tem 40 horas. Elas trabalham, leem, praticam esportes, estudam, mantêm relacionamentos e tem amigos. Com certeza você conhece alguém assim também.

Mesmo assim, há 2 ou 3 anos estou querendo ser como uma dessas pessoas. Não só me dedicar no trabalho, bater metas, entregar resultados e projetos, mas também alcançar os meus resultados pessoais, bater as minhas próprias metas, melhorar em cada aspecto que eu puder melhorar. Pode parecer uma coisa de auto-ajuda e é. (Aliás, sempre desprezei o termo auto-ajuda, sempre me pareceu conversa para boi dormir, mas descobri que de cada livro, palestra ou TED Talk de auto-ajuda que eu assisto mesmo que tenha papo-furado terá algo útil para minha vida pessoal).

O que percebi é que muito das técnicas que usamos todos os dias no ambiente de trabalho para alcançar resultados são simplesmente esquecidas na nossa vida pessoal. Provavelmente sua empresa possui um planejamento, sabe quais são os objetivos, tem uma visão de longo prazo, tem valores, um budget e prioridades definidas. Mesmo que sua empresa não tenha tudo isso, você SABE que ela precisa ter. Por quê então a sua vida pessoal pode seguir dia após dia sem ter planos, metas, sem ter uma visão do que você quer para você e sem ter um orçamento para as áreas da sua vida?

1. Escreva um plano!

Um estudo que saiu no British Journal of Health Psychology fez um estudo com 3 grupos pedindo a cada grupo que fosse à academia pelas próximas 2 semanas. Ao primeiro grupo só foi feito o pedido. O segundo grupo além de ter recebido o pedido, também assistiram vídeos motivacionais (chamaram de grupo motivado). Já o terceiro grupo recebeu o pedido para ir a academia, assistiu os mesmos vídeos do grupo motivado e pediram que eles escrevessem a seguinte frase:

Durante a próxima semana eu vou praticar 20 minutos de atividade física vigorosamente na _____ (local) às __________ (horário)

Esse conceito é chamado de Implementation Intention (Intenção de implementação em tradução livre Fernandística). É basicamente quando você escreve as condições para terminar uma tarefa.

Os resultados foram :

38% do Grupo 1 compareceu à academia na próxima semana.

35% do Grupo 2 (Grupo Motivado)

91% do Grupo 3, o grupo que escreveu utilizando Implementation Intention.

Nunca subestime escrever um plano!

Anote no papel, no Evernote ou em qualquer lugar que você possa acessá-lo novamente depois.

2. Crie um sistema para atingir resultados

Somente focar em bater a meta é inútil. Não confie só na sua força de vontade para fazer você se mexer. Você precisa de um sistema que funcione para diminuir sua energia de ativação para realizar as tarefas até que elas se tornem um hábito.

Eu simplesmente não conseguia controlar o que comia ou bebia quando almoçava em restaurantes, assim resolvi que ia fazer marmitas para levar ao trabalho. Resolvi que ia preparar toda minha comida da semana aos domingos. Ao fazer dieta você começa a pensar que come todos os dias a mesma coisa e tudo vira motivo para ficar enjoado. O fato é que você não varia muito seus alimentos, mesmo quando não está fazendo dieta. Quando li isso no livro do Tim Ferris, The 4 hour body, percebi o quanto usei isso como desculpa para sair da dieta. Então resolvi ver uns vídeos no youtube sobre como preparar várias marmitas para a semana e voilá, cada vez menos falho em me alimentar bem na hora do almoço.

Criar um sistema serve para qualquer coisa, se você quer ler mais você precisa pensar que em determinado momento do seu dia ou da sua semana você vai precisar parar para ler. Se não separar esse tempo, você simplesmente não vai ler os livros que decidiu ler.

Na sua vida profissional você segue um sistema. Pode ser que você tenha que ligar para 10 clientes por dia, pode ser que você tenha que pesquisar 5 fornecedores para cada produto que você vai comprar, não importa. O sistema vai facilitar a sua vida.

3. Priorize

Você acordou 7h30 da manhã, foi no banheiro, levou seu celular, abriu o Facebook, deu uma scrollada, leu umas notícias, leu uns comentários e de repente são quase 9h00. Você já está atrasado, precisa tomar banho e começa seu dia naquela loucura para quando chegar em casa você entrar novamente nas redes sociais, olhar os grupos de WhatsApp, etc. Sua prioridade é essa merda de Facebook, simples assim. Desinstale ele do seu celular, assista menos TV a noite, leia menos jornal de manhã. Essa é a chave para criar tempo no seu dia. Se você gosta de postar coisas na sua rede social use o Hootsuite. Quer ler só o que saiu de interessante no jornal? Se inscreva em uma newsletter como o Canal Meio.

Muita gente acha, ou diz que se informa pelas redes sociais, quando na verdade as redes sociais e grupos estão é cheios de entretenimento e notícias irrelevantes. Aproveitar o tempo perdido nessas ferramentas é priorizar aquilo que você planejou. Acredite em mim, as notícias importantes, os acontecimentos e até mesmo os memes do momento vão chegar a você sem que você precise scrollar o seu Facebook por uma hora de manhã. Aproveite seu tempo no trânsito, arrumando a casa ou na esteira para ouvir Podcasts e aprender coisas novas, ouvir notícias ou ouvir um Audiobook.

Com certeza para ser bem sucedido na sua vida profissional você aprendeu a priorizar entre suas tarefas. Use isso na sua vida pessoal também.

4. Demita as pessoas tóxicas da sua vida

Já faz alguns anos que estou demitindo pessoas que não me acrescentam em nada na vida. Sabe aquela pessoa que quando você conversa com ela você se sente drenado? Pessoas que reclamam de tudo, ou reclamam dos outros, só falam de si, etc. Essas pessoas também tomam um tempo desnecessário da sua vida. Pessoas que em qualquer ambiente de trabalho seriam a maçã podre ou um fofoqueiro. Corte-as sem dó.

Mantendo somente amizade com pessoas interessantes você vai ver que pode aprender muito com elas. Até as notícias importantes que você deixou de ler para se dedicar a outra coisa chegarão a você através desse network bem selecionado de amigos que você vai manter.

5. Bônus: Meditação

Se você é um ateu, agnóstico ou cético pode ser que balance a cabeça ao ler sobre meditação, mas isso é cientificamente comprovado que melhora muito sua qualidade de vida. Não tem a ver com energia, com ki, com cosmo, com nada disso. Meditação é um exercício no qual você foca no agora, no seu corpo, na sua respiração e quando sua mente começa a viajar você percebe isso e volta para o que tinha que fazer. Isso vai melhorar sua produtividade, seu foco, sua resiliência e sua forma de lidar com suas emoções, afinal são partes de ser humano.

Se quiser melhorar tanto sua vida profissional quanto a pessoal comece a meditar. Já falei disso aqui no blog na retrospectiva do ano passado. E se depois de tentar achar que isso não é para você então pare uns minutos na sua manhã e escreva o que estiver na sua cabeça em um caderno. Prestar atenção em você é a importantíssimo!

Minha experiência pessoal

No começo de 2017 resolvi escrever um plano pessoal, pode chamar de resolução de ano novo, pode chamar do que quiser, mas o fato é que escrever o que eu queria para minha vida no ano passado foi extremamente importante para eu ter resultados na esfera pessoal.

Os objetivos que escrevi foram:

  • Chegar aos 88 Kg
  • Fazer atividade física uma vez a cada 3 dias ( ou 120 dias no ano)
  • Participar de uma corrida de 10 km
  • Fazer um curso de Machine Learning
  • Escrever pelo menos 6 posts no blog
  • Casar
  • Fazer uma viagem internacional
  • Fazer aulas de bateria
  • Tirar carteira de motorista
  • Fazer aulas de tênis
  • Economizar dinheiro
  • Ler 12 livros no ano

Todos os que marquei com fonte vermelha são os objetivos que não atingi. Todos os outros eu consegui, alguns até antes do tempo e fui capaz de dobrar a meta.

Lutei com meu peso nos últimos 10 anos, tentei por várias vezes praticar atividades físicas, mas sempre voltava para o sedentarismo. Muitas vezes usando a desculpa de que trabalho muito (50 a 60 horas por semana) e que não dá tempo para treinar. Em 2017 isso mudou. saí de 2016 que não fiz quase nenhuma atividade para 181 dias de atividade física em 2017. Bati os 120 dias em setembro e resolvi aumentar.

 

Para exercício considerei qualquer atividade física que fosse musculação ou aeróbica com 40 minutos de duração. Mesmo assim não cheguei aos 88 kg que planejara porque aprendi um pouco tarde como seguir uma dieta regrada, mas comecei o novo ano pesando 8 kg a menos que no ano anterior, com mais disposição e feliz em praticar atividades físicas diariamente.

 

O sucesso de ter atingido essa meta se deve muito a como eu a escrevi, que foi um pouco mais detalhada que as outras. Com minha meta financeira também fui bem mais específico, fiz um planejamento de como faria para diminuir minhas contas mensais e conseguir fazer minha viagem internacional e guardar dinheiro. Assim consegui no meio do ano ir para Nova York, Barcelona e Paris. Surgiu uma oportunidade boa para viajar com amigos e eu já estava me preparando financeiramente para poder viajar, por mais que não tivesse o plano inteiro pronto. A oportunidade aparece, se você estiver preparado vai poder aproveitar.

Uma coisa muito legal para mim foi conseguir ler os 12 livros. Nunca tinha lido tanto em um ano. Quando cheguei em outubro já tinha lido 8 livros mas achei que não conseguiria ler mais 4 até o final do ano. Achei que era muito! Bom, tive 2 conversas na mesma semana que me motivaram, uma com uma colega de trabalho que disse ler um livro por semana e outra com um colega que fiz no bar o HQBierman.  Comprei um Kindle com backlight para ler deitado antes de dormir, comecei a ir para a cama mais cedo e ler aos domingos e consegui. No último final de semana do ano eu consegui bater minha meta. Hoje me parece que 12 livros foi fácil, esse ano quero ler 16 livros.

Ler foi uma experiência ótima pra mim, foi uma conquista. Eu lembro de assistir uma TED Talk que o palestrante dizia que Líderes são Leitores (Leaders are Readers). Ler é fazer o download da experiência de outra pessoa para a sua cabeça. E não só os livros técnicos são bons para isso, mas qualquer um. Mesmo os livros que não gostei me ensinaram alguma coisa. Esses são os livros que li esse ano:

Quanto à outras metas, muitas não consegui bater por que foram metas idiotas. Jeff Sutherland criador do Scrum diz: Planejar é útil. Seguir cegamente os planos é estupidez. Quando eu decidi que correria 10 km , simplesmente não pensei que estou com condromalacia patelar e que não posso correr antes de ter perdido bastante peso e fortalecido os músculos das pernas. Também não senti tanta vontade de fazer aulas de tênis, simplesmente não quis arranjar tempo pra fazer isso, musculação e bike aos fins de semana estavam sendo legais o bastante pra mim. Até cheguei a procurar por aulas de bateria, mas quando vi os preços vi que não estava com tanta vontade assim.

Das outras metas, apesar de não tê-las concluído elas andaram e isso é ótimo! Estou matriculado em uma auto-escola, já tinha começado a fazer o curso de machine learning ( e assim acabei fazendo um outro curso de gerenciamento de projetos no Coursera)

Quanto ao casamento ainda não saiu, mas pude fazer um pedido à minha noiva em Paris:

Links interessantes:

Forget About Setting Goals. Focus on This Instead.

Ver no Medium.com

 

O que aprendi gerenciando 3 produtos em 2016

Há exatamente um ano eu fiz um balanço sobre como foi o meu 2015 e como saí de uma fase de total esgotamento para a empolgação com uma empresa que estava nascendo. Atendendo a pedidos (Meu pai queria ler a continuação, huahuahua) resolvi contar de forma breve(?) como foi esse ano pra mim, pra minha carreira e o que aprendi gerenciando 3 produtos diferentes na mesma empresa.

Sobre os Desafios e Conquistas:

No ano passado(2015), consegui entregar o LegalNote. Começou pequeno, como deveria ser, afinal era só um MVP e precisávamos validar se existia mercado pra ele, se os advogados teriam interesse em um produto minimalista para controle de processos. Diversas vezes aplicamos os brilhantes métodos do Lean Startup do Eric Ries e quando se fala de Lean Startup necessariamente se fala do ciclo Build – Measure – Learn (tradução livre: Construir – Medir – Aprender)

Rapidamente aprendemos que nossos clientes precisavam que nós expandíssemos nossos robôs (doravante crawlers) para todos os tribunais do Brasil e todos os diários oficiais.

Como missão dada é missão cumprida, começamos o ano com a difícil tarefa de expandir nossos horizontes sobre fontes de informação pública. Se você já precisou algum dia buscar qualquer coisa que seja em um órgão público deve ter xingado o site algumas vezes. Pois é, o desafio de acessar sites do governo para estruturar e dar inteligência àquelas informações, tentar buscar padrões, trabalhar com dados nada estruturados é uma dor de cabeça. Se você quer que as coisas fiquem fáceis para o seu cliente, elas terão que ser difíceis pra você. Muitas partes em movimento, sites que podem mudar de uma hora pra outra e quebrar o seu crawler, mudança de padrões que podem quebrar seus RegEx, etc… Mas conseguimos. Nossa primeira fase de expansão sobre tribunais e diários oficiais foi um sucesso…

Mas com grandes poderes vem grandes responsabilidades. Ao longo desses anos trabalhando com startups me aprimorei em uma técnica pra atrair clientes com SEO. Usei pela primeira vez em 2013 e naquela época conseguimos alcançar clientes sem verba de marketing. Agora em 2016 usamos a mesma técnica e o resultado veio muito rápido. Muitos clientes e muitos processos.  Para vocês terem uma ideia, essa é a imagem que foi postada no Blog do LegalNote com os números da empresa em 2016:

O que aprendi gerenciando 3 produtos em 2016 - Fernando Alves

E pra todo número grande que você vê aí, tivemos um desafio de infra-estrutura. Desafios de escalabilidade, provisionamento de instâncias, controle e gerenciamento de filas, performance de banco de dados, monitoramento, performance de buscas, milhões de tasks, alta carga de emails e mais…

O bom é que todo problema traz consigo uma oportunidade pra aprender. Aprendi muito esse ano, muito mesmo, muito sobre performance, sobre escalabilidade, sobre AWS e principalmente sobre gerenciamento. Quando você é um chefe muito técnico existe uma grande possibilidade de você focar em desenvolver, afinal você é um cara mão-na-massa, mas na maioria das vezes isso não é o melhor pra você, nem para sua empresa. Você como gestor precisa o tempo todo facilitar para que as pessoas ao seu redor se desenvolvam. E o grupo sempre vai chegar mais longe que você, não importa quão bom você seja. Você precisa usar o seu conhecimento para alavancar a produtividade e o conhecimento das outras pessoas. Elas precisam melhorar o tempo todo e você também (Por isso fiquei emocionado ao ver a retrospectiva de final de ano de um cara brilhante que trabalha com a gente e ter lido a retrospectiva dele do ano passado)

Facilitar para que as pessoas se desenvolvam envolve:

  • Aumentar gradualmente o desafio que elas devem resolver
  • Estar disponível para conversar e tirar dúvidas
  • Se livrar dos impedimentos
  • Ouvir muito
  • etc

Só o que tenho aprendido como gestor dá mais alguns posts que prometo escrever esse ano.

Voltando ao ciclo, junto ao crescimento do LegalNote nós lançamos o Diligeiro. Primeiro a API ficou pronta, depois veio o lançamento do aplicativo Android, do WebApp e no segundo semestre lançamos o app para iOS

gerenciando-produtos-lançamento-diligeiro-ios
Almoço de lançamento do Diligeiro para iOS

Produto diferente, desafios diferentes. Logo aprendemos que os usuários queriam um chat in-app. Que foi a primeira feature a ser desenvolvida com o app já em funcionamento. Ficou tão legal, que outro dia mostrando para um pessoal no DevBeers tive que ouvir um “que é isso? é o Whatsapp?”

E foi através do Diligeiro que tive uma das minhas experiências mais gostosas como empreendedor. Há alguns meses precisei ir para Belo Horizonte participar de uma audiência. E conhecem aquela frase americana: Eat your own dog food, então a advogada que ia participar da audiência comigo na cidade foi contratada pelo aplicativo. Tudo correu bem, fomos à audiência e depois de sair do fórum a advogada me disse que estava praticamente só trabalhando como correspondente e utilizava o Diligeiro pra trabalhar. ( Explicando sucintamente: O Diligeiro é o Uber pra correspondentes jurídicos). Um mês depois recebi a decisão do Juiz através do LegalNote. Viagem completa dentro dos produtos da própria empresa, levantei comemorei, todo mundo bateu palma e a sensação que eu tive foi de uma vitória muito grande. E o diligeiro tem novidades por aí…

Caramba, ainda não parei de escrever…mas vamos lá. Dezenas de Milhares de pessoas físicas começaram a querer usar nossa ferramenta para advogados! Então porque não dar a essas pessoas o que elas querem?

gerenciando-produtos-shut up and take my money

Assim começamos a desenvolver um novo produto e lançamos agora no final do ano. É o SeuProcesso.com. Um court monitor para pessoa física.

Nossa corujinha

Ano que vem vocês ouvirão eu falar muito mais sobre o SeuProcesso.com

E como nem só de trabalho viverá o homem, pessoalmente esse ano foi incrível pra mim. Fiz o meu primeiro mergulho e foi uma das experiências mais extraordinárias que já tive. Viajei sozinho, fiz longas trilhas só ouvindo a natureza, fui em muitos parques, nadei, cantei, dormi, chorei. Li um livro que mudou minha vida (The Will Power Instinct) pq foi através dele que comecei a praticar meditação diariamente e o simples fato de sentar e respirar me deixa mais tranquilo, mais consciente de como estou me sentindo e olha que a vida inteira eu achava que isso era bullshit, só tentei dar uma chance ao HeadSpace pra começar a gostar e sentir diferença na minha vida. E o principal de tudo…foi o ano do Guanciale

Muito obrigado, 2017 tem mais!

2o Hangout Empreendedorismo Python Brasil

O pessoal do grupo Python Brasil está começando a fazer hangouts semanais pra falar sobre Python e Empreendedorismo e hoje participei do 2o Hangout. Falei um pouco sobre minha experiência e tentei falar alguma coisa sobre a importância do programador também ser um empreendedor.

Tentei falar, porque eu não tinha planejado o que falaria, só rabisquei alguns tópicos no caderno, mas aqui no blog eu posso detalhar um pouco o que eu pensei e colocar uns links também.

Esqueci de citar um dos links principais que gostaria, que é o curso How to Start a Startup do Sam Altman, CEO do YCombinator

Vídeo da Apresentação:

 

Curso

Notícias

Links dos Projetos

Podcasts

Livros

Outros Links

Bônus

De esgotado a empolgado. O que deu certo aceitando um desafio em 2015

“Não será fácil. Mas você já fez coisas difíceis antes.” *

Depois de 10 semanas no vale do silício conversando com investidores, programadores e empreendedores de tecnologia, percebi que o produto que tinha me dedicado por mais de um ano não fazia mais sentido pra mim.

eeeee. nope!

 

Comecei 2015 exausto. Depois de vários anos empreendendo estava me perguntando se era hora de prestar um concurso público ou trabalhar “na minha”.

Pensei em desistir de empreender, pensei em como é difícil tirar algo do papel e sabia que se quisesse empreender teria que passar por várias etapas pelas quais já tinha passado algumas vezes nos últimos anos. Mas as vezes não adianta querer fugir, e o que foi uma simples conversa informal que tive com o Dr Antônio Maia no EC14 acabou se transformando num convite para ser sócio de uma empresa com ideias bastante ambiciosas para transformar a área jurídica no Brasil. As ideias eram excitantes e boas demais para serem preteridas e resolvi então abraçar mais um desafio como CTO de uma empresa de Legal Tech.

Studying law. making a responsible choice for my future

Quem já foi CTO no início de uma startup sabe como é difícil você dar os primeiros passos. Estudar as necessidades de um mercado que não é o seu, planejar as estruturas, começar a escrever o código e o principal e mais difícil: Montar um time de excelência.

Não tem todo mundo, mas tem bastante gente

Não tem todo mundo, mas tem bastante gente

Existe um provérbio grego que diz que O início é metade de qualquer ação. Acho essa metáfora linda, pois não é pra tanto, mas mesmo assim começamos do zero na última semana de fevereiro/15 com uma única posição dentro de um escritório de advocacia e estamos terminando o ano com um conjunto inteiro na Av. Paulista, um time lindo de desenvolvimento, um stande e  apresentação na maior feira da nossa área, com um produto lançado, o LegalNote, crescendo rapidamente com mais de mil usuários cadastrados e milhares de processos e com o nosso outro produto o Diligeiro correndo na fase final de desenvolvimento.

Trabalhamos até a véspera da véspera de ano novo, empolgados por todas essas conquistas que não foram fáceis e eu tenho a certeza de que daqui pra frente tudo continuará sendo difícil, mas nós podemos olhar pra trás e ver que já fizemos coisas difíceis antes.

Muito obrigado à todos! Um excelente 2016!

Um obrigado especial a todos que trabalham duro comigo:

Chuckeeey
Daniel , o mago das regex
Derek Oedenkoven
Dr Antonio Maia
Dr Fabio Abrahao
Gui AMS
Marcus Beckenkamp
Vitão Jar Jar
Gustavo UX
Rafael, o lendário!
Muller #Zueiro
* Li essa frase em algum lugar essa semana e achei fantástica.